segunda-feira, 11 de junho de 2012

O vestido vermelho

Baila com seu vestido vermelho
Os opostos e complementares
Dançam em contra pontos
Fazendo linhas não lineares

Sentada no sofá
Eu de frente observo
Os pés mexendo, trêmulos
E aquele olhar hipnotizante

Por um segundo
Estou no meio
Danço sem saber dançar

Na figura de um pensador
Olhando adiante teus olhos que me tocam
Compenetrado esqueço que existo.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Desejo ninfal

Ao L. B.

Aqueles jovens que hatibam minha cama
Perfumam ao deleitoso prazer
Incendeiam de orgasmo voluptuoso
O gosto pela juventude
Sinto-me mais moço
Como se bebesse do néctar
A beleza sendo sugada
Auréolas de anjos
E corpos profanando-se